A adaptação da criança na escola é um período complexo e se não tomar algumas atenções, pode ser traumático e prejudicar o psicológico das crianças.  Confira 10 dicas para ajudar no processo de adaptação:

shutterstock_41151130

1 – Estabeleça uma relação de confiança entre a família e a escola.

2 – Não demonstre insegurança na escolha, mesmo se houver, pois é transmitida para os filhos.

3 – Leve a criança antes do começo das aulas para ela conhecer o ambiente.

4 – Envolva a criança na escolha do material, da compra do uniforme, não faça nada que pegue a criança de surpresa.

5 – Explique a nova rotina para criança, mesmo que ache exagero. Esse cuidado ajuda a minimizar os exageros e aquietar as expectativas.

6 – Participe de toda as reuniões da escola, é importante para entender como a educação é dada e também para dar mais segurança às crianças.

7 – Muitas escolas tem uma semana de adaptação, em que um dos pais fica presente para dar mais segurança à criança.

8 – No começo os pequenos estranham, pois começam a entender que ali não é lugar de passeio, então começam a se acostumar a serem mais independentes.

9 – Não faça outras mudanças concomitantes como retirar chupeta ou fralda, babá, casa, etc; junto com a adaptação na escolinha para não sobrecarregar o psicológico dos pequenos.

10 – A criança só deve faltar se estiver doente ou por uma questão mais séria, a ruptura pode atrapalhar a adaptação e você terá que voltar alguns passos para trás.

11 – Sempre que for embora da escola, despeça-se da criança, não deixe que ela tenha a sensação de abandono.

12 – Diga sempre quando vai voltar e o que vai fazer até o horário da saída: “mamãe vai trabalhar”, “papai vai no mercado”, etc.

13 – No começo, seja sempre a mesma pessoa que busque a criança. Isso ajuda na percepção de como a criança está lidando com os professores e com a escola.

14 – No final do dia, sempre pergunte para a criança como foi seu dia e a deixe falar tudo. Esse comportamento é bom para que ela entenda que pode contar aos pais qualquer atividade, seja ela boa ou ruim.

15 – Cada criança leva um tempo para se adaptar à escola, entenda e não force para que não cause nenhum bloqueio psicológico tanto com a sua ausência quanto ao novo ambiente.

Gostou das dicas? Tem mais alguma? Deixe seu comentário para nós.

Fonte: Ninguém Cresce Sozinho

shutterstock_79081294 - Copia

Segundo o dicionário Michaelis:

resiliência
re.si.li.ên.cia
sf (ingl resilience) 1 Ato de retorno de mola; elasticidade. 2 Ato de recuar (arma de fogo); coice. 3 Poder de recuperação. 4 Trabalho necessário para deformar um corpo até seu limite elástico.

Mas afinal o que é e por que é tão importante no desenvolvimento da criança?

Psicólogos e educadores falam de resiliência como elasticidade, um conceito que “está relacionado à capacidade de enfrentar uma situação adversa e se desenvolver a partir dela. Mais do que se adaptar, é conseguir superá-la, encontrando uma nova maneira de viver”, segundo Clarice Kunsch contou para a Revista Crescer.

Segundo a Psicóloga Marisa de Abreu, precisamos desenvolver a resiliência “para conseguir ultrapassar as fases de, adolescência, sair da fase adulta e ir pra velhice, mudanças de solteiro para casado, emprego novo, divórcio, aposentadoria…”. Por isso quanto mais cedo aprendermos a ter elasticidade melhor, é preciso incentivar essa “independência” desde cedo em casa e na escola.

Fontes:

Revista Crescer

Marisa de Abreu – Psicóloga

 

 

Imagem: Educar para Crescer.
Imagem: Educar para Crescer.

Não é de hoje que ouvimos educadores e psicólogos dizerem que o diálogo é um dos melhores remédios, mas observar e prevenir é sempre bom quando falamos de nossas crianças.

As crianças tem segredinhos como nós, para os pais é mais difícil entender o limite entre a privacidade dos pequenos e a hora em que é preciso intervir. Um bom alerta é sinais de mudança no comportamento da criança como medo, tristeza, pesadelos e até vergonha.

Confira algumas dicas do Site Educar para Crescer para lidar melhor com os segredos das crianças:

– Saiba respeitar a privacidade da criança

– Fique atento aos sinas de mudança e interfira só se necessário

– Tenha uma relação de confiança com a criança

– Ouça sem repreender

– Ensine a importância da criança guardar segredos

– Jamais peça para que a criança guarde segredos que os coloquem em uma situação difícil

Gostou? Confira a matéria completa no site da Educar para Crescer: http://goo.gl/Gpcqqk

 

A Revista Educar para Crescer listou os principais benefícios que a criança ganha para o seu desenvolvimento ao dançar. Confira:

shutterstock_120079906_resize

1 – Desenvolve habilidades típicas do ser humano

2 –  Alimenta o funcionamento da máquina cerebral

3 – Ajuda a manter a saúde do corpo

4 – Colabora na formação do indivíduo

5 – Colabora na formação do indivíduo

6 – Serve de ferramenta para se expressar

7 – Estimula o conhecimento estético

8 – Incentiva o controle emocional

Fonte: http://goo.gl/udQiVW

Segundo a Psicopedagoga Jossandra Barbosa, a criança pisar no chão é importante, sim. Entenda o porquê:

shutterstock_127992746_resize

A Psicopedagoga Jossandra conta o caso de uma aluna com sérios problemas nos pés, dificuldade de andar, correr e pular. Com isso, vinha a necessidade de usar sapatos feitos por encomendas e ainda assim, desconforto. Além disso, a aluna ainda apresentava dificuldades motoras.

“Conversei com a mãe e ela me contou que a filha nasceu completamente normal, não teve problemas na gravidez, não tinha nenhuma síndrome diagnosticada e que os ortopedistas diziam que o problema que da filha oi porque quando criança ela jamais colocou o pé no chão”, conta a psicopedagoga.

Segundo a mãe, o marido era muito rígido e exigia que a filha usasse sempre meias dentro de casa e sapatos para não sujar os pés. A criança fazia tratamento então, para reaprender a andar. Aos 20 anos, a aluna ainda faz tratamento fisioterapêutico para corrigir as dificuldades motoras.

A psicopedagoga Jossandra Barbosa conclui que após longo acompanhamento de sua aluna, vê a importância dos estímulos psicomotores desde o nascimento até o fim da vida.  Jossandra ressalta que “durante toda a nossa vida precisamos ser constantemente estimulados.  O simples ato de andar descalço é um estímulo para o nosso corpo.”

Fonte: www.psicopedagogajossandrabarbosa.blogspot.com.br